Artigo: Governança Corporativa em home office

Artigo veiculado na edição 242, de junho de 2020 da Revista RI Relações com Investidores , no qual Junia Carvalho e eu abordamos os principais desafios percebidos até agora com o trabalho em Home office. A estratégia do artigo segue o racional dos 8 P s da Governança Corporativa desenvolvido por Rossetti e eu e descrito no nosso livro: Governança Corporativa: Fundamentos, Desenvolvimento e Tendências página 144 , sétima edição.

O site de busca google mostra 7,6 bilhões de resultados no intervalo de 1,10 segundos, as pesquisas apontam o aumento de quatro vezes após a segunda quinzena de março de 2020. Protagonista da atualidade o “home office” e a necessidade básica de entender a sua dinâmica na prática, reforça a condição de sobrevivência das empresas em um cenário impactado pela pandemia COVID-19, no qual a adaptabilidade não escolhe segmento, natureza tampouco “porte”. 

O que há poucos meses era apenas uma tendência que crescia linearmente, torna-se uma realidade no curto prazo, com regra de exponencial. 

Acelerado pelas medidas adotadas pelas empresas de todos os portes para o distanciamento social, o modelo traz desafios para a Governança Corporativa no curto prazo, sobretudo pelo senso de urgência das empresas em remodelar as estruturas para os lares dos seus colaboradores.

Assustador também é o aumento exponencial dos processos trabalhistas no Ministério da Justiça brasileiro no período do coronavírus de cerca de 2.000 processos começo de março para quase 36.000 começo de Junho de acordo com a pesquisa do Datalawer , boa parte deles derivados do novo contexto.

Surge a necessidade de repensar a gestão, os propósitos e princípios das Organizações, as relações de trabalho, o comportamento dos líderes e liderados, a segurança da informação, sobretudo a proteção do valor da empresa reforçando instâncias de Governança que possam garantir o retorno necessário para a harmonização das diversas necessidades dos seus Stakeholders.

É preciso rever toda estrutura, retomando as linhas de pensamento do empreendedor no estágio inicial do negócio, sobretudo a partir de um fio condutor que provoque aderência entre a gestão tradicional no ambiente da empresa e o novo modelo que está se fazendo remotamente.   

Em uma analogia a energia conduzida por um fio condutor (sempre que uma carga é posta sobre influência de um campo magnético, esta sofre uma interação que pode alterar seu movimento) os 8Ps da Governança Corporativa, metodologia criada por Andrade e Rossetti(2012) trazem a luz para o cenário da gestão no contexto pandêmico, uma vez que o conecta aos valores essenciais da boa Governança: transparência, equidade, accountability, compliance e responsabilidade corporativa.    

RI-242-GOVERNANÇA-Governança-em-Home-Office-por-Adriana-Solé-e-Júnia-Carvalho19960

RI-242-Capa-e-Sumário19961

Revista-RI-Junho-Julho-2020

Clique aqui, entre em nosso fórum, deixe suas dúvidas e participe das discussões!