Governança Corporativa em empresas familiares

A importância da estrutura de Governança Corporativa em empresas familiares.

Texto produzido por Adriana Solé a pedido do IDMC  de acordo com o link: http://www.idmc.org.br/pt-br/noticia/governanca-corporativa-e-tema-do-3o-modulo-elite-brasil/

Partindo do princípio de que Governança Corporativa é o sistema pelo qual as empresas são direcionadas, monitoradas e incentivadas para garantir o retorno esperado aos seus donos, a harmonização dos interesses de outras partes interessadas e a sua perpetuidade, um processo que respeite o ciclo de vida, a visão e missão da empresa e coloque ordem na casa é fundamental para o sucesso de qualquer empreendimento. A governança existe para garantir os negócios ao longo do tempo, independentemente das mãos de quem estiver.

Na realidade, a estrutura de governança em empresas familiares educa os grupos empresários a tratar a empresa como empresa, a família como família e a propriedade com respeito, não desconsiderando as íntimas relações entre todos estes atores. E isso não é nada fácil!

A partir do momento que o dono começa a estruturar ou organizar a Propriedade, o primeiro aspecto de Governança, ou seja, o capital social dos seus negócios, ele provoca inicialmente um grande desconforto na família e sócios forçando todos os participantes a entender os critérios que precisam ser levados em conta para a preservação dos negócios. Isto significa muitas vezes a ter que se estruturar tanto um acordo de acionistas que defenda entre outros aspectos, a empresa das demandas por liquidez das famílias e sócios, como também um protocolo familiar, focado no processo sucessório dos negócios com ou sem a participação de familiares na gestão através de regras que devem ser definidas pela própria família. Assuntos delicados em todo grupo empresarial!

Através de uma estrutura de Governança é facilitado e estimulado a necessária segregação de papéis, funções, atribuições e a definição das responsabilidades tanto entre os membros da família quanto nas empresas o que determina em grande parte a legitimidade da estrutura de poder principalmente nos negócios.

Como não existe estrutura de governança sem um sistema de fiscalização e controle, este sistema geralmente é montado para preservar a integridade civil e criminal, diminuindo o grau de exposição e responsabilização da alta administração da organização em relação a potenciais comportamentos irregulares ou ilegais de seus colaboradores.

Cada empresa tem o seu tempo e o seu ritmo. Estruturar governança em uma empresa depende da vontade e entendimento dos seus donos de que é importante começar o processo, uma vez que é a senha do mundo corporativo atual, mas que tanto a direção quanto o ritmo deste processo deverão estar sempre sob seu comando.

Compartilhe:

Clique aqui, entre em nosso fórum, deixe suas dúvidas e participe das discussões!