Especial: Os “8 Ps” da governança corporativa em nove empresas brasileiras (Parte 1)

Apresentamos uma série de publicações com o resultado da avaliação situacional dos “8Ps” da Governança Corporativa em nove empresas brasileiras, no período de 2006 a 2011.

O levantamento foi realizado pelo economista e professor José Paschoal Rossetti para o livro “Governança Corporativa em Empresas Familiares”, lançado este ano pelo IBGC, no Congresso de Governança Corporativa, realizado em São Paulo.

Uma proposta metodológica para levantamento de hiatos

Este levantamento apresenta os resultados de metodologia de avaliação situacional aplicada em nove empresas familiares brasileiras, no período 2006-2011, em trabalhos de consultoria para adequação dos sistemas de governança corporativa.

O objetivo do levantamento é avaliar a situação das empresas e identificar hiatos em relação a “situações desejáveis”, em oito dimensões, descritas por “8 Ps”. Em cada dimensão foram destacados pontos positivos dos sistemas de governança.

Mas foram também observados hiatos que sintetizam adequações exigidas para maior aproximação às práticas desejáveis de boa governança. Os pontos mais fortes das empresas avaliadas são a estrutura de poder estabelecida; os valores, princípios e legados; e a qualidade dos propósitos e rumos estratégicos definidos para os negócios.

Já os que requerem maior atenção são a clareza na definição dos países das famílias, dos grupos societários e dos administradores; a gestão de pessoas; e as regras, as práticas, o funcionamento e a eficácia dos Conselhos de Administração.

Introdução

Em busca de metodologias e de instrumentos de trabalho para levantamentos situacionais e adequação de sistemas de governança, propusemos, em Governança corporativa: fundamentos, desenvolvimento e tendências [1], uma síntese descrita por “8 Ps”:

  1. propriedade;
  2. princípios;
  3. propósitos;
  4. papéis;
  5. poder;
  6. práticas;
  7.  pessoas;
  8. perpetuidade.

Estas oito dimensões podem sintetizar o ambiente, o sistema, os pontos fortes, as fragilidades e as situações críticas – enfim, os “hiatos” de boas práticas de governança corporativa – independentemente da tipologia das empresas – privadas ou estatais; abertas ou fechadas; familiares ou de estrutura societária consorciada não familiar; sociedades anônimas ou limitadas.

Obviamente, a listagem e o conteúdo das questões centrais de governança em cada um desses “8 Ps” não são iguais em cada uma destas categorias de empresas, e variam também em função do estágio de seu desenvolvimento e da dimensão de seus negócios. E, mesmo em empresas de um mesmo tipo – por exemplo, familiares de capital fechado – há diferenças em cada um dos “8 Ps”, decorrentes de outro fator de alta relevância para questões de governança: o “momento geracional”.

Com os fundadores ainda atuantes na administração, as questões fundamentais não são as mesmas, caso já tenha ocorrido a transmissão plena do controle para a segunda geração ou, mais ainda, se a empresa está na difícil transição da segunda para a terceira geração; e serão também distintas se a empresa já superou esta difícil transição.

Em quaisquer situações, porém, em empresas familiares ou de outra tipologia, é pertinente avaliar o ambiente e o sistema de governança a partir dos “8 Ps”: uma metodologia que já testamos para a produção de levantamentos situacionais e orientação de mudanças que superem “hiatos de governança” identificados.

A Figura 1 aponta aspectos relevantes de governança em cada um dos “8 Ps”. Eles sintetizam aspectos cruciais, desdobráveis em conjuntos de questões que são objeto de avaliações sistematizadas. A maior parte das questões é comum às diferentes categorias de empresas; outras exigem customizações, decorrentes do momento vivido pelas empresas, do estágio de seu desenvolvimento em diferentes campos, de suas particularidades culturais, societárias, de estruturação de negócios ou de sistemas de administração.

Nos últimos seis anos (2006-2011), com o emprego desta metodologia, acumulamos experiências em diferentes tipos de empresas. Mostraremos aqui uma síntese dos resultados de levantamentos situacionais realizados.


[1] ROSSETTI, J. P.; ANDRADE, A. Governança corporativa: Fundamentos, desenvolvimento e tendências. 5ª edição. São Paulo: Atlas, 2011.

Leia também:

Parte 2 – As características das empresas selecionadas

Todas as publicações do especial “Os “8 Ps” da governança corporativa em nove empresas brasileiras”

 

 

Compartilhe:

Clique aqui, entre em nosso fórum, deixe suas dúvidas e participe das discussões!