Visão de cinco modelos de governança corporativa pelo mundo

Veja no quadro abaixo, a síntese dos cinco modelos de governança corporativa pelo mundo.

síntese dos cinco modelos de governança corporativa mundial

 

Modelo anglo-saxão

Veja no quadro abaixo, a síntese do modelo anglo-saxão de governança corporativa.
Quadro com síntese do modelo anglo-saxão de governança corporativa

Foco: pré-crise financeira

Pré-crise:

  • rigidez e custo alto de implementação da Sox para as empresas abertas;
  • perda de competitividade da bolsa de Nova York para a bolsa de Londres.

Causas da crise: Risk Metrics Group

  • 38% falta de transparência dos gestores;
  • 29% política de remuneração dos executivos focando o curto prazo;
  • 22% falta de visão estratégica do Conselho de Administração;
  • ineficiência na gestão de risco.

Foco: pós-crise financeira

Focos de discussão atuais: S&P 500

governança mundial modelo anglo-saxão 2

Modelo alemão

Veja no quadro abaixo, a síntese do modelo alemão de governança corporativa.

 

Modelo japonês

Veja no quadro abaixo, a síntese do modelo japonês de governança corporativa.

Governança Corporativa atrasa o Japão por:

  • não proporcionar a supervisão adequada da estratégia corporativa;
  • proteger a gestão da disciplina do mercado;
  • falhar em proporcionar os retornos necessários para proteger a rede de segurança social, o sistema de pensão do Japão.

Questões-chave levantadas:

  • Acionistas como proprietários – direitos dos acionistas precisam ser mais reconhecidos e protegidos;
  • Utilização eficiente do capital – implementação de rigorosos controles financeiros e de negócios;
  • Conselheiros externos independentes – necessidade da nomeação em curto prazo de pelo menos três independentes;
  • Direito de preferência aos acionistas – deveriam ser introduzidos;
  • Poison pills e take-overs defense: deveriam ser revogadas;
  • Assembleias de acionistas e voto – deveriam ser transparentes, justas e divulgadas.

Pontos nevrálgicos:

  • Papel do Conselheiro independente versus Kansayaku auditores estatutários;
  • Assembleia de Acionistas e votos – poder e autoridade dos acionistas na decisão de assuntos corporativos e passividade em relação aos seus direitos quanto a dividendos, políticas de Conselho e take-overs;
  • Poison Pills crescente;
  • Keiretsu – participação cruzada – ressurgimento;
  • Diálogo – Companhia versus Investor.

 

Modelo latino-europeu

Veja no quadro abaixo, a síntese do modelo latino-europeu de governança corporativa.

Há três tipos de conselhos:

governança mundial modelo latino-europeu 2 tipos de conselhos

Boas práticas:

Board in turbulent times2009 – Heidrich & Stuggles

 

Modelo latino-americano

Veja no quadro abaixo, a síntese do modelo latino-americano de governança corporativa.

Comparação entre América Latina e Ásia Emergente (março de 2009)

Modelo latino-americano: análise geral

  • Progresso perceptível desde 2000, com muito ainda por fazer.
  • Poucas empresas têm Conselho de Administração atuando de fato e de direito.
  • As práticas de proteção a minoritários estão localizadas em alguns países, mas longe de atenderem às reais expectativas dos investidores.
  • Crescimento do ativismo de investidores institucionais.
  • Crescente evangelização do mercado.
  • Sucesso Novo Mercado brasileiro – benchmarking regional.
  • Códigos de boas práticas sugeridos e apadrinhados pelos órgãos reguladores.

Leia também: Governança corporativa: a metodologia dos “8Ps”

Compartilhe:

Clique aqui, entre em nosso fórum, deixe suas dúvidas e participe das discussões!